Watsonian Sidecar

Marca: Watsonian Sidecar Co Ltd
Modelo: Sidecar - Aro 14x2.125 Carrier - Original de fábrica
Ano: 1938
Origem: Inglaterra
Proprietário: Marcelo Eduardo Afornali
Curitiba - Paraná - Brasil
História: Fábrica fundada em 1912 como "Watsonian Folding Sidecar Co. at Balsall Heath, Birmingham", destinada à produção de carros laterais e reboques acopláveis em bicicletas e motocicletas, sendo que em 1930 mudou de nome, tornando-se definitivamente "Watsonian Sidecar Co Ltd"... Este sidecar (carro lateral) é construído sobre chassi de aço rebitado com sistema de fixação lateral no eixo do cubo e mancais, sendo um utilitário de grande valia no período que compõe a década de 20 até os anos 50, principalmente no período anterior e posterior a 2ª Guerra Mundial... Devido a escassez de combustível no período da guerra e após este, foi largamente ultilizado nas bicicletas, pois poderia tranquilamente carregar uma criança até 7 anos de idade além de e transportar compras e demais apetrechos... O sidecar em questão possui toda a documentação, informações estas cedidas pela fábrica Watsonian referentes ao ano e modelo da produção, tornando-se assim peça única... No momento, encontra-se acoplado a uma bicicleta Triumph inglesa, já que o estado de originalidade desta peça, combina e equilibra-se perfeitamente ao da bicicleta, pois ambos estão com pintura e desgaste relativamente iguais, tornando-se um conjunto ímpar de de pleno equilíbrio!!!
A Epopéia - por Gabriel Nogueira:
“Isso não é um side-car para bicicletas e sim uma novela mexicana!” – Agente de Alfândega no Aeroporto de Berlim-Schönefeld, ao ouvir a explicação sobre o que havia dentro da caixa.
A história toda começou em princípios de junho de 2008, quando o Marcelo encontrou este exemplar original de fábrica em um site Inglês. Como na época eu ainda estava morando em Londres, e como desde que o Marcelo me deu a chance de ser o dono de minha maravilhosa pisteira Enrique Ali, "tudo o que ele me pede sorrindo, eu faço chorando", acabei por acertar a compra desta maravilhosa peça histórica e me comprometi a "um dia" buscá-la. Fato é, que depois de abrir minha boca grande, descobri que o side-car estava em um pequeno povoado chamado Osbaston, no Condado de Leicestershire, no norte da Inglaterra. O pequeno aglomerado de casas se encontra a poucos metros de Market Bosworth e a cerca de 50km de Birmingham, cidade onde foi fabricado (e onde se fabricam até hoje os famosos side-cars e reboques, agora para motos apenas, pela "Watsonian Squire"). Market Bosworth é famosa por ter sido o palco da "Batalha de Bosworth", parte da "Guerra das Duas Rosas" (1455-1485) pelo trono da Inglaterra, o que serve para atrair algumas dezenas de turistas anualmente. Depois de algumas idas e vindas até o Brasil e depois de ter fixado residência permanente em Berlim, na Alemanha (e de vários emails tentando convencer o vendedor do side-car a enviá-lo para o Brasil), ficou claro que a única maneira de fazê-lo chegar às mãos do Marcelo seria indo até lá. Passagens compradas, carro alugado, malas feitas, lá fui eu para a Inglaterra, para cumprir a promessa que havia feito ao grande amigo Marcelo. Saindo de Berlim, peguei um vôo para o Aeroporto de Luton, que fica ao norte de Londres e a cerca de uma hora de carro até o pequeno povoado. Chegando ao aeroporto, peguei um carro alugado e fui diretamente à casa do senhor Stephen. Graças ao GPS e as informações passadas pelo telefone, cheguei até a casa de mais um amante de veículos antigos e de história. Fui muito bem recebido pelo anfitrião, que estava visivelmente feliz em saber que seu precioso side-car estava a caminho de fazer parte de uma das mais importantes coleções de Bicicletas Antigas da América Latina. Antes de chegar até a garagem onde estava a peça, passamos pela coleção de "velharias" de Stephen, que inclui algumas bicicletas (com destaque a pisteira Freddie Grubb), um Morgan conversível, um "calhambeque" recém restaurado, uma Tamden Clarkes (que segundo ele é a bicicleta ideal e do período correto para se acoplar o side-car), a bicicleta utilizada por seu pai em inúmeros tours pela Europa antes da Segunda Grande Guerra, sua coleção de carbureteiras e uma BSA, seu "projeto para o inverno". Na parede se encontrava o velho e raríssimo side-car e nas mãos de Stephen um arquivo com toda a informação que ele havia conseguido sobre o mesmo (incluindo uma carta com um decalque original enviada pela Watsonian ao antigo proprietário!). Levamos o bicho pra fora da garagem e com a ajuda dos amigos Chris e Anne Chant, decidimos por dividí-lo em duas partes a serem embaladas individualmente. No processo de embalagem, o Sr. Stephen nos contou que seu pai e sua mãe possuíam uma Tanden exatamente idêntica à que se encontra em sua garagem e que tinham também um side-car Watsonian acoplado, que era utilizado para carregar seu irmão (na época com cerca de 7 anos de idade) e pequenas compras. Devido a nostalgia, ele começou sua busca pelo exemplar, pensando em utilizá-lo para carregar sua cadela de estimação. Depois de coletar informações e finalmente adquirir o “acessório”, o Sr. Stephen descobriu que sua cadela já estava grande demais para caber dentro do mesmo, decidindo-se então por “passá-lo” para alguém que pudesse dar o devido valor à tão bela peça. Depois de embalar, como bons ingleses, os novos amigos me convidaram para um chá e um pedaço de bolo. Na conversa descobri que o Sr. Stephen foi professor de religião para crianças em uma escola de segundo grau e que sempre se interessou muito por história e por objetos antigos. O Chris, que foi responsável por intermediar o negócio, também é aficionado por motos (principalmente HRD Vincent e afins) e foi muito cortês ao convidar-me para jantar em sua casa e ver sua coleção de bicicletas e motos. Terminado o chá, me dirigi com Stephen até a agencia de correios mais próxima, para descobrir que apenas um dos pacotes (o que continha o chassi e a roda) poderia ser enviado para o Brasil. Infelizmente a parte maior (com a barquinha superior) teria de ser trazida comigo até a Alemanha. Com metade da "encrenca" já a caminho do Brasil, embarquei de volta à Berlim com o restante para decidir o que teria de ser feito para fazer com que o "sonho" de ter o primeiro side-car para bicicleta intacto em solo "brazuca" fosse realizado. De volta à Berlim e depois de uma "pequena" taxa de excesso de bagagens, levei a caixa diretamente para o porão da casa de meu amigo Pablo Santos que agora em Dezembro irá ao Brasil, com o restante do "sonho" na bagagem, quando enfim, a "novela mexicana" chegará ao seu fim.
Gabriel Nogueira.
Agradecimentos:
Ao amigo Gabriel Nogueira, ciclista e companheiro de algumas pedaladas, Curitibano de sangue e que hoje vive na Alemanha terminando seus estudos na área de tradução de línguas... Foi graças a ele, que tornou-se possível realizar este sonho, já que se dispôs a sair da Alemanha de trem para ir buscar este sidecar na Inglaterra, carregando-o durante centenas de quilômetros até sua volta à Alemanha... A você Gabriel, que demonstrou ser mais que um amigo, meus sinceros agradecimentos, meu "Muito Obrigado"!!!